quarta-feira, setembro 28, 2011

As novas entidades que o Governo vai criar

Depois de opinar sobre as entidades fundidas ou extintas, vou debruçar-me então sobre as entidades que o Governo vai criar.
Presto assim um verdadeiro serviço público ao elucidar os seres mais desatentos (aqueles seres que deram o voto ao nosso actual Presidente da República) das vantagens inerentes à criação destes tachos, ups, destas entidades:
  • Agência Portuguesa para o Ambiente, Água e Acção Climática
  • Direcção Geral de Política do Mar
  • Direcção Geral de Recursos Naturais e Serviços Marítimos
  • Inspecção-Geral da Agricultura, Pescas, Ambiente e Ordenamento do Território
  • Instituto Português do Mar e da Atmosfera, IP
O que têm estas entidades em comum? Todas elas metem água!
Nós sabemos que somos um país à beira mar plantado. Nós sabemos que temos um Oceaninho inteiro a banhar-nos. Sabemos que o Mar é um cluster fundamental na nossa economia mas 5 entidades diferentes para o mesmo elemento?!?!?
É água! Não compliquem! Bastava criar a Direcção Geral de tudo o que meta água ou que esteja de alguma forma relacionado com ela excepto água engarrafada. É que até se justificava que criassem uma Inspecção-Geral da Água Engarrafada para não andarmos a gastar dinheiro em água de marca quando há águas de marca branca que vêm da mesma fonte! Isto sim, merece uma inspecção.

A seguir mais umas quantas:
  • Secretaria-Geral do MAMAOT - Quereis saber o que é MAMAOT? Pois que eu elucido. Ministério da Administração do Mar, da Água, do Oceano e do Tubarão. Mas não chegava já de entidades relacionadas com água?!?!? Chiça, penico!
  • Direcção Geral de Planeamento e Gestão Financeira - É bom que a planeiem já que são incapazes de a fazer. Falo da Gestão Financeira, naturalmente.
  • Autoridade Tributária - Formada por agentes dos GOE. Dão porrada a quem fugir aos impostos. Não vai a bem, vai a mal.
  • Direcção Geral de Qualificação do Emprego Público - Fundamental! Depois de todos nos questionarmos porque é que temos que gramar com certas personagens que estão empregadas na função Pública, alguém se lembrou que era fixe que elas tivessem algum tipo de qualificação. Isto é apenas um nome pomposo para uma escola primária dedicada a funcionários públicos para ver se conseguem finalmente acabar a 4ª classe.
  • Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública - eles partilham a inércia, a preguiça, a burocracia, o mau humor. São serviços que não podem estar restringidos apenas a um ou outro funcionário Público. Há que partilhar estes serviços essenciais para que os funcionários públicos de todos os organismos tomem conhecimento, por exemplo, do nome daquele médico fantástico que passa baixas por 50 EUR.
  • Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e Dependências - Este é formado por um Padre de cada Paróquia de Lisboa e respectivo sacristão. Lêem a Bíblia a toxicodependentes e alcoólicos.
  • Conselho Nacional para as Políticas de Solidariedade, Voluntariado, Família, Reabilitação e Segurança Social - Como os padres e os sacristães estavam já ocupados, esta função fica para as Carmelitas Descalças.
  • Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais - Ponderaram contratar o José Castelo Branco para chefiar este Gabinete mas depois ele pediu uma casa de banho forrada a papel de parede Gucci e como estamos em crise, não pegou. Convidaram o Berardo que disse que avaliaria toda a cultura. A que for boa fica para ele, a que tiver menos potencial é para quem a apanhar.
Se entretanto o nosso Governo decidir presentear-nos com novas as entidades, logo verei se valem um comentário.

Sem comentários: