sexta-feira, setembro 30, 2011

Isaltino Morais - o post que se impunha

Ontem à noite, o presidente da Câmara Municipal de Oeiras foi preso.
Foi preso na sequência do acórdão do Supremo Tribunal de Justiça que, por sua vez, confirmava a decisão do Tribunal da Relação que data de 2010.
Entre um julgamento e outro, em 2009, houve eleições autárquicas.
Nós sabemos que a voz do Povo pragueja que os políticos são todos iguais, são todos uns aldrabões, andam todos a encher-se à nossa custa. Mas na altura da verdade, naquele dia em que por segundos têm o pequenino poder de escrever uma cruz dentro dum quadradinho, o que fazem? Dão o lugar aos aldrabões que se enchem à nossa custa. Porquê? Porque se lá puserem um gajo idóneo não se podem queixar e não podem dizer que tinham razão quando houver uma condenação em Tribunal.
Porque lá no fundo e acima de tudo, o tuga gosta mesmo é de repetir as frases "Eu sabia!" "Eu bem disse!" "Eu é que tinha razão" "Estes sacanas são todos iguais".
O facto destes sacanas nos terem ido ao bolso utilizando os nosso impostos para aumentar os zeros da conta na Suiça não interessa nada. Impostos esses pagos à custa do nosso trabalhinho frequentemente subvalorizado.
E o que é que eu ouvi hoje para justificar o voto no Isaltino? Que ao menos ele rouba às claras. Que não é como todos os outros que ficam com o nosso dinheiro mas não fazem obra. A Câmara de Oeiras é um dos concelhos mais desenvolvidos e ricos da península Ibérica e mesmo da Europa.
E digo eu, agora imaginem bem o potencial se o Presidente da Câmara não fosse o Isaltino!
Mas conclui-se então que há dois tipos de políticos aldrabões:
  1. Todos os representantes da classe política;
  2. Políticos que são julgados por corrupção.
O 2º tipo tem claramente vantagem porque se torna vítima. Os outros são todos ladrões que andam para aqui a encher os bolsos à nossa custa. Já os que são levados a tribunal são os desgraçados que andavam a encher os bolsos à nossa custa mas foram apanhados, julgados e com algum azar, condenados. Estes infelizes são os que cumprem penas pelos outros que nunca são levados a Tribunal. Eles não pagam pelas ilegalidades que fizeram, eles pagam pelo que todos os outros fizeram.
Assim é a nossa justiça. Condena um pecador pelos restantes pecadores e isso é injusto e torna o pecador imediatamente santo.
Por isso, o santo Isaltino foi re-eleito e, apesar de ter sido detido ontem à noite, esteve menos de 24 horas na prisão. Afinal a condenação a 2 anos de prisão está suspensa até o Tribunal Constitucional se pronunciar sobre os recursos interpostos pela defesa do Sr.
E o Santo Isaltino é novamente vítima desta Justiça.
O Santo Isaltino ainda é inocente mas, se provarem que não o é, terá certamente um altar dedicado a si na Igreja Matriz de Oeiras.
Valha-nos Santo Isaltino!

Sem comentários: