sábado, setembro 10, 2011

Na celebração do 10º aniversário do 11 de Setembro comemora-se também... a estupidez!

Amanhã é o 10º aniversário dos atentados de 11 de Setembro.
E como não poderia deixar de ser, sobrevivem várias teorias da conspiração e eu ADORO teorias da conspiração. E adoro-as por várias razões:
- Fico sempre surpreendida pela ociosidade de quem as inventa visto que muitas delas requerem largos dias a conspirar para a história ser minimamente credível;
- Uma teoria da conspiração nunca vem só e um conspirador tem teorias sobre os mais díspares acontecimentos;
- Os conspiradores são pessoas muito criativas e a grande maioria está desaproveitada pelo que sugiro que as concentrassem todas numa Conferência da Conspiração a ter lugar num manicómio longe daqui.
- Há sempre alguém suficientemente acéfalo para acreditar nelas.

Ora bem, uma das minhas teorias preferidas é a que envolve a Mossad e que é mais ou menos isto:
- Os atentados foram organizados pela Mossad por isso os cerca de 4000 judeus que trabalhavam no WTC foram avisados e não compareceram ao trabalho.
Porque é que esta teoria é estúpida? Porque toda a gente sabe que um judeu que se preze tem um negócio próprio (tem o seu escritório de advogados, a sua empresa de contabilidade, a sua farmácia ou a sua mercearia). Não andam cá a trabalhar para os outros ganharem dinheiro à custa deles! E de certeza que pagar um escritório no WTC era um custo muito mais elevado do que ter o escritório em Harlem!
Quem suporta esta teoria? Os neo-nazis que acreditam que Hitler era um profeta e o genocídio era apenas uma forma de evitar os atentados de 11 de Setembro.
Onde falha a teoria? Mas por que carga de água é que os serviços secretos Israelitas quereriam fazer um atentado aos EUA?!?!?!?!

Outra teoria brilhante que tem sido muito divulgada e apoiada por arquitectos (ou arquitontos) é a que defende a existência de explosivos no WTC. Dizem que não foram os aviões que fizeram ruir os edifícios mas sim explosivos que lá tinham sido colocados previamente. Dizem ainda que existem testemunhos que afirmam ter ouvido explosões dentro do edifício.
Porque é que a teoria é estúpida? Porque todos nós que já estivemos dentro de edifícios a serem atingidos por aviões, sabemos que o impacto não pode jamais ser confundido com uma explosão porque é muito silencioso! Duh!
Quem suporta esta teoria? O Taveira.
Onde falha a teoria? Onde é que a teoria acerta?

Mais uma que eu adoro: O drama do voo 93 foi encenado. O avião que operava o voo 93 aterrou em segurança e o avião que se despenhou estava vazio. Os passageiros do voo 93 foram assassinados ou estão noutros países com outras identidades. Os telefonemas também foram falsos porque à altitude a que o voo estava não podia haver rede. Além disso, num dos telefonemas, o passageiro ligou à sua mãe e para se identificar disse o nome completo.
Porque é que a teoria é estúpida? Se era para matar os passageiros qual é a diferença entre assassiná-los ou despenhar o avião onde iam? O fim era o mesmo... A menos que todos os passageiros fossem potenciais emigrantes que conseguiram cidadania noutros países para onde os mandaram com identidades diferentes... falta então esclarecer que todos os passageiros eram Cubanos! O passageiro que se identificou dizendo o nome completo, poderia ser filho duma senhora com Alzheimer ou então era o 3º de uma longa linhagem de gajos com o mesmo nome. Era o John Smith I, o John Smith II e o John Smith Junior. Qual é o espanto? O próprio Presidente da altura tinha o mesmo nome que o seu pai...
Quem suporta esta teoria? O Fidel Castro e o realizador do filme "Flight 93".
Onde a falha a teoria? Qual era o objectivo de inventar isso tudo? Arranjar um bom argumento para um filme?

Sem comentários: