sábado, junho 29, 2013

As mães que tratam os filhos por você

Hoje, na praia, uma criatura pequena (vulgarmente denominada de criança) levava uma prancha de body board na cabeça (é um sítio tão bom como qualquer outro para transportar uma prancha) e mal conseguia andar porque o vento teimava em empurrá-la para trás.
À frente, uma outra criatura com idade para ter juízo, olhava para trás e berrava "Venha, venha!" Hesitei e olhei para trás para tentar perceber a quem se dirigia a ordem gritada à boa maneira troglodita. Depois de olhar à volta percebi que só lá estava a criança e comentei "Se calhar ele não vem, porque acha que a mãe está a gritar para qualquer outra pessoa mais velha. Se tratasse a criança por tu, talvez ele percebesse que a ordem era para ele..."
E isto relembrou-me um outro episódio muito divertido no Corte Inglés. Um lindo dia, aí há uns tempos, aproximei-me do elevador. Já lá estava uma mãe com uma bebé. Só as duas, sózinhas. E por bebé refiro-me a um ser humano com menos de 2 anos de idade. A menina já andava mas com a motricidade típica da idade. Quando me aproximo, oiço a mão dizer à bebé: Estás tão gira! Pareces uma minhota!" Não sei qual era a característica da bebé que a assemelharia a uma natural do Minho mas certamente haveria uma lógica da batata que justificasse a comparação.
Entretanto, chegaram mais pessoas que esperavam o elevador e, quando finalmente entrámos dentro do ascensor, onde também já estavam outras pessoas que tinham entrado noutros piso (sim, este é um elevador normal, daqueles que sobem e descem e onde as pessoas vão entrando em diferentes pisos), a mãe da menina começa a tratá-la por você "Saia no próximo, está bem?", "Já chegámos. Venha com a mãe.".
Não admira que os miúdos depois não obedeçam aos progenitores. Em casa são tratados por tu mas em público há um bicho que morde às mãezinhas e começam a tratar as crianças como se estivessem a conversar com a avó. Os putos não percebem.... eles não obedecem porque não sabem que as mãezinhas estão a falar com eles e não com a empregada do café ou a funcionária da loja.

someecards.com - Ouça, não sei como é que ficou tão mal-educado mas eu, como sua mãe, não tenho que aturar a sua falta de educação.

3 comentários:

Fernanda Pina disse...

Bem........adorei, duas ou três gargalhadas enquanto lia o texto, porque para além de estar escrito por uma boa observadora e ter uma bela pitada de ironia, nos revela algumas anormalidades do universo da educação a que as nossas crianças estão sujeitas !

Anónima disse...

Enquanto isso, senhoras adultas na casa dos 30 e 40 começam a ser tratadas por «tu» nos cafés, salões de cabeleiro, etc. É lamentável! Até a publicidade já começou a tratar as pessoas assim

barcelence disse...

Sim, à moda espanhola! Deveras irritante.