domingo, julho 21, 2013

Toda a gente gosta do mesmo... se calhar porque às vezes o mesmo é bom!

Detesto quando certas coisas pegam moda. Fico tão feliz quando descubro um coisa de que gosto, que só quero que essa coisa se torne conhecida dos meus amigos e só porque lhes contei quão fabulosa essa coisa é.
O ano passado descobri os fins de tarde Revolta Sunset @ Rooftop e estou feliz porque, passado um ano, não pegou moda e continua civilizado e sem multidões. Mas não se pode dizer o mesmo do OutJazz. Quando começou, e apesar de ser à borla, havia sempre espaço para nos sentarmos, nem que fosse na relva. E quando digo espaço, falo duns bons 5 metros quadrados à nossa volta. E as pessoas que lá iam? Chegavam mesmo a ir de propósito ouvir jazz. Pessoal que, assim na loucura, chega a gostar de jazz...
Este ano o OutJazz parece uma preview do Sudoeste. Criançada que não sabe muito bem o que vai ouvir mas como é fashion, tem de lá estar. E vão para lá dar tudo por tudo. Saltos altos, shorts mínimos... O que interessa menos é a música que estão a tocar. E aquele pessoal que vai lá mas que tem Tony Carreira a tocar no carro?



E depois há o problema daquelas coisas que eu só descubro porque já pegaram moda... e aí,já é tarde demais e é muito mais complicado usufruir da dita coisa com tempo, espaço e um mínimo de privacidade.
Hoje fui almoçar ao Honorato. Já tinha visto tantas fotos dos hamburgueres pelas redes sociais, que fiquei curiosa. Como seria de esperar, estava cheio. Mas consegui um lugarzinho ao balcão. Lá pedi um Hamburguer Falcão. Sim, porque para mim, hamburguer que se digne de ter esse nome, tem de levar bacon e queijo cheddar.
Tenho é de confessar uma coisa. Não sou fã de batata frita. Pronto, já disse. Sim, sou eu. Sou A pessoa que não gosta particularmente de batata frita. Acho que uma saladinha rima melhor com um hamburguer... são manias parvas... ou, melhor ainda, aros de cebola!!! Mas pronto, no Honorato servem-nos batatas fritas... e caseiras... e não é que são deliciosas? Cheguei mesmo a comer uma dúzia de batatas só para terem noção de como são boas! E o Hamburguer? Médio-mal passado e com umas pedrinhas de sal grosso que teimaram em lá ficar... Tão bom! Tão tenrinho, tão apetitoso.
Pronto, está na moda e estava à pinha... mas o que é que se pode fazer? É bom, é barato e é giro...
E a Nanarella? Abriu no início do ano e tem sempre fila. Também não passa dum balcão. Se houver mais de 2 pessoas à espera, a fila começa a formar-se na rua... mas é que a fila chega à esquina, muitas vezes. É mais um caso de bom e barato.... Pode ser que comecem a fazer concorrência aos Santini e a clientela disperse... assim, as filas nos Santini diminuem um bocadinho!
Agora, se o Oásis pega moda é que estou lixada. Deixem-me, pelo menos, o vegetariano!

1 comentário:

Fernanda Pina disse...

Também não sou adepta de batata frita, mas o texto convenceu-me! Um destes dias vou experimntar a "dita" !!!!! E não só......fiquei curiosa quanto aos outros locais, "porque às vezes o mesmo é bom" !!!!!