sábado, agosto 10, 2013

As novas dondocas ou a arte de ser economicamente dependente aparentando sucesso profissional

Ser dondoca com menos de 40 anos é uma arte. É depender economicamente do marido mas inventar uma ocupação que pareça uma carreira.
É que ser dona de casa hoje em dia já não é socialmente aceitável. Já não basta ser mãe e esposa. Convém ter uma profissão, quiçá, construir uma carreira.
É óbvio que os pais dos seus filhos não são uns funcionários de nível intermédio nem nada que se pareça. Têm de ser senhores bem pagos que possam sustentar toda a prole.
E porque ser dona de casa é antiquado, as mães a tempo inteiro têm ocupações muito específicas mas que não exigem agendas apertadas ou horários rígidos.
Elas são fotógrafas, pintoras ou escritoras... Compraram o equipamento mais caro no mercado, não fazem ideia o que é profundidade de campo ou abertura do diafragma, mas a máquina até faz tudo sózinha (isto é um problema transversal que não afecta só as dondocas e que está a começar a tornar-se uma praga). Além disso, têm uma grande amiga que até tem uma galeria de arte e não se importa nada de expor os trabalhos dum novo talento!
E, como não poderia deixar de ser, há sempre as Relações Públicas e as Personal Stylists. Todas estas ocupações dependem sempre de muita amiga e amigo disposto a pagar uma consulta à outra amiga mal amanhada ou a desembolsar para que a sobrinha tenha uma mega festa de anos.
Ou seja, quando conhecerem uma mãe com uma destas ocupações, saibam que estão perante a versão 4.2 da Dona de Casa, compatível com todo o hardware Apple ou qualquer outra marca que apareça no mercado e esteja ainda mais inflacionada.

someecards.com - Being a housewife is a full-time job. Dropping kids at school, shopping, telling the maid what to do, going to the hairdresser, catching up with friends...

E, para não estereotipar demasiado, aqui vai um artigo sobre Donas de Casa que não correspondem à minha descrição: http://activa.sapo.pt/vida/sociedade/2013/08/09/as-donas-de-casa-estao-de-volta.

2 comentários:

Com Jeito e Arte disse...

Ao ler esta "descrição" e o artigo recomendado,recuei no tempo quinze dezenas de anos. A luta das mulheres pela igualdade de direitos teve inicio em 1848. Ao longo da História, os direitos por elas conquistados libertaram-nas gradualmente dos seus papéis tradicionais - incluindo Portugal, no Estado Novo. No entanto, quando as sociedades enfrentam graves crises, as mulheres são as primeiras a ver os seus direitos ameaçados. " A História é uma velhota que se repete sem cessar", escreveu Eça de Queirós no século XIX. Para finalizar o meu já longo comentário, quero apenas dizer que existirão sempre as que aceitam de muito boa vontade o papel "tradicional".

Anónimo disse...

Adoro ser dondoca! :-)